http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/

Soja: Mercado devolve as últimas altas e se ajusta nesta 6ª em Chicago após números do USDA

Voltar

Agronegócio

11/05/2018

Os preços da soja recuam no pregão desta sexta-feira (11) na Bolsa de Chicago. O mercado, segundo explicam analistas internacionais, devolvem os ganhos da sessão anterior se ajustando após a divulgação dos últimos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que aconteceu na tarde de ontem.
 
Dessa forma, por volta de 8h40 (horário de Brasília), as cotações recuavam entre 4,75 e 5,25 pontos, com o julho/18 sendo negociado a US$ 10,16 por bushel.
 
As atenções dos traders estão voltadas para o desenvolvimento da safra nova dos Estados Unidos e, ainda como explicam analistas e consultores, ao ajustado quadro de oferta e demanda esperado para a nova temporada, com a projeção de uma safra menor 2018/19 norte-americana, o que irá reduzir também os estoques finais do país.
 
"O ponto de maior interesse no relatório de Oferta e Demanda Mundial do USDA foi a estimativa da safra para 2019, onde pode-se constar: o aumento de 14 milhões de toneladas no esmagamento mundial da soja; Brasil superando a produção dos EUA; China com importações e esmagamento acima dos 100 milhões de toneladas neste próximo ano safra", diz o boletim diário da AgResource Mercosul.

Fonte: Notícias Agrícolas

Soja: Mercado devolve as últimas altas e se ajusta nesta 6ª em Chicago após números do USDA

11/05/2018

Os preços da soja recuam no pregão desta sexta-feira (11) na Bolsa de Chicago. O mercado, segundo explicam analistas internacionais, devolvem os ganhos da sessão anterior se ajustando após a divulgação dos últimos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que aconteceu na tarde de ontem.
 
Dessa forma, por volta de 8h40 (horário de Brasília), as cotações recuavam entre 4,75 e 5,25 pontos, com o julho/18 sendo negociado a US$ 10,16 por bushel.
 
As atenções dos traders estão voltadas para o desenvolvimento da safra nova dos Estados Unidos e, ainda como explicam analistas e consultores, ao ajustado quadro de oferta e demanda esperado para a nova temporada, com a projeção de uma safra menor 2018/19 norte-americana, o que irá reduzir também os estoques finais do país.
 
"O ponto de maior interesse no relatório de Oferta e Demanda Mundial do USDA foi a estimativa da safra para 2019, onde pode-se constar: o aumento de 14 milhões de toneladas no esmagamento mundial da soja; Brasil superando a produção dos EUA; China com importações e esmagamento acima dos 100 milhões de toneladas neste próximo ano safra", diz o boletim diário da AgResource Mercosul.