http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-herbishow.html
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.sugarethanolbrazil.com

Açúcar em NY tem leve ganho beneficiado com a fuga de recursos de outros mercados pela retaliação chinesa

Voltar

Açúcar

03/04/2018

Os fundos conseguiram dar mais um dia de sobrevida ao açúcar, segurando seu rumo à casa dos 12 c/lp, na Bolsa de Nova York (ICE Futures) neste primeiro dia útil (2) de abril. Posições vendidas no mercado acionário (NYSe e Nasdaq) levaram algum recurso à soft commodity.

Entre o 17 pontos do maio aos 11 pontos de outubro, intervalo de variação, o maio ficou em 12.5e c/lp, o julho 12,63 e o outubro 12,98. Já na sexta, houve também ligeiros ganhos, em uma semana com os investidores saindo e entrando para evitar derrocada maior das cotações.
 
A guerra comercial EUA versus China, agora com os contornos da retaliação chinesa a 150 itens, após Donald Trump impor sobretaxas ao aço e alumínio, bateu no mercado com a os recursos saindo de ações.
 
Enquanto as notícias que vinham da Índia apresentavam um novo reforço na expectativa de superávit - agora para pouco mais de 5 milhões de toneladas de açúcar -, e poderiam afundar mais as cotações tanto quanto agora a abertura da safra brasileira, o cenário do comércio mundial via a disputa sino-americana deu uma ajuda.
 
"Mas nada que deve tirar a tendência mais longa de o açúcar poder chegar mais próximo dos 12 c/lp", comentou Maurício Muruci, da Safras & Mercado, naturalmente observando a pressão da safra brasileira entrando, mesmo que com menos açúcar no mix.

Fonte: Notícias Agrícolas

Açúcar em NY tem leve ganho beneficiado com a fuga de recursos de outros mercados pela retaliação chinesa

03/04/2018

Os fundos conseguiram dar mais um dia de sobrevida ao açúcar, segurando seu rumo à casa dos 12 c/lp, na Bolsa de Nova York (ICE Futures) neste primeiro dia útil (2) de abril. Posições vendidas no mercado acionário (NYSe e Nasdaq) levaram algum recurso à soft commodity.

Entre o 17 pontos do maio aos 11 pontos de outubro, intervalo de variação, o maio ficou em 12.5e c/lp, o julho 12,63 e o outubro 12,98. Já na sexta, houve também ligeiros ganhos, em uma semana com os investidores saindo e entrando para evitar derrocada maior das cotações.
 
A guerra comercial EUA versus China, agora com os contornos da retaliação chinesa a 150 itens, após Donald Trump impor sobretaxas ao aço e alumínio, bateu no mercado com a os recursos saindo de ações.
 
Enquanto as notícias que vinham da Índia apresentavam um novo reforço na expectativa de superávit - agora para pouco mais de 5 milhões de toneladas de açúcar -, e poderiam afundar mais as cotações tanto quanto agora a abertura da safra brasileira, o cenário do comércio mundial via a disputa sino-americana deu uma ajuda.
 
"Mas nada que deve tirar a tendência mais longa de o açúcar poder chegar mais próximo dos 12 c/lp", comentou Maurício Muruci, da Safras & Mercado, naturalmente observando a pressão da safra brasileira entrando, mesmo que com menos açúcar no mix.