http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/12-grande-encontro-sobre-variedades-de-cana-de-acucar.html

Brasil e Vietnã firmam parceria na área do agronegócio

Voltar

Agronegócio

03/07/2018

Em missão no Brasil, o Ministro da Agricultura do Vietnã, Ha Kong Tuan, assinou na última segunda (1º) um memorando de entendimento com o Ministro da Agricultura brasileiro, Blairo Maggi, que tem o objetivo de incentivar maior cooperação entre os dois países nas áreas relacionadas à agricultura.
 
Entre as atividades previstas no acordo, estão a melhoria na cooperação técnica entre cientistas e instituições de pesquisa e desenvolvimento agrícola. Também está prevista a troca de sementes e raças animais, de informações técnicas e documentos, além de organização conjunta de seminários técnicos, workshops, conferências, exposições setoriais, formulação e implementação de projetos de pesquisa.
 
"O comércio tem que ser ampliado entre as partes e anda quando a parte política decide que deve andar. Daqui para frente os técnicos do Ministério da Agricultura juntamente com os técnicos deles buscarão harmonizar mais a legislação dos nossos certificados fitossanitários e fazer com os negócios aconteçam pelas mãos dos empresários, como deve ser feito", disse o ministro Blairo após o encontro.
 
Maggi lembrou que o Brasil importou no ano passado um pouco de café no sistema drawback do Vietnã. "Esse mercado está aberto, é uma consequência do mercado mundial. O Brasil não precisa importar a cada instante. Mas, em determinados momentos, fazer um blend nas empresas importadoras ajuda a indústria a ser competitiva lá fora. Os países não devem ser hermeticamente fechados porque senão ele fica do tamanho do seu mercado interno".
 
O Vietnã, observou Maggi, tem cem milhões de habitantes e território equivalente a 30% do Mato Grosso. "Quer dizer, então que se trata de um mercado bem interessante e que pode resultar em ganhos para ambos os lados".
 
Desde 1986, quando o Vietnã iniciou a abertura da economia, o país vem crescendo a taxas de mais de 7% ao ano. O país deixou de ser um dos países mais pobres do mundo, importador de arroz, e se transformou em modelo de crescimento e um dos maiores produtores e exportadores de arroz, maior produtor de café robusta, e grande exportador de borracha, castanhas, pimenta e pescados. Está em franco processo de industrialização, urbanização e modernização.
 
*Texto extraído do portal Universoagro

Fonte: Datagro

Brasil e Vietnã firmam parceria na área do agronegócio

03/07/2018

Em missão no Brasil, o Ministro da Agricultura do Vietnã, Ha Kong Tuan, assinou na última segunda (1º) um memorando de entendimento com o Ministro da Agricultura brasileiro, Blairo Maggi, que tem o objetivo de incentivar maior cooperação entre os dois países nas áreas relacionadas à agricultura.
 
Entre as atividades previstas no acordo, estão a melhoria na cooperação técnica entre cientistas e instituições de pesquisa e desenvolvimento agrícola. Também está prevista a troca de sementes e raças animais, de informações técnicas e documentos, além de organização conjunta de seminários técnicos, workshops, conferências, exposições setoriais, formulação e implementação de projetos de pesquisa.
 
"O comércio tem que ser ampliado entre as partes e anda quando a parte política decide que deve andar. Daqui para frente os técnicos do Ministério da Agricultura juntamente com os técnicos deles buscarão harmonizar mais a legislação dos nossos certificados fitossanitários e fazer com os negócios aconteçam pelas mãos dos empresários, como deve ser feito", disse o ministro Blairo após o encontro.
 
Maggi lembrou que o Brasil importou no ano passado um pouco de café no sistema drawback do Vietnã. "Esse mercado está aberto, é uma consequência do mercado mundial. O Brasil não precisa importar a cada instante. Mas, em determinados momentos, fazer um blend nas empresas importadoras ajuda a indústria a ser competitiva lá fora. Os países não devem ser hermeticamente fechados porque senão ele fica do tamanho do seu mercado interno".
 
O Vietnã, observou Maggi, tem cem milhões de habitantes e território equivalente a 30% do Mato Grosso. "Quer dizer, então que se trata de um mercado bem interessante e que pode resultar em ganhos para ambos os lados".
 
Desde 1986, quando o Vietnã iniciou a abertura da economia, o país vem crescendo a taxas de mais de 7% ao ano. O país deixou de ser um dos países mais pobres do mundo, importador de arroz, e se transformou em modelo de crescimento e um dos maiores produtores e exportadores de arroz, maior produtor de café robusta, e grande exportador de borracha, castanhas, pimenta e pescados. Está em franco processo de industrialização, urbanização e modernização.
 
*Texto extraído do portal Universoagro