http://www.ideaonline.com.br/conteudo/2-inovacana.html
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/
http://bit.ly/2ktdMMm
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/

Brasil eleva preço mínimo do milho para maiores produtores em 2018/19

Voltar

Geral

20/06/2018

O Ministério da Agricultura publicou nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União, um aumento nos preços mínimos do milho para a nova safra 2018/19, em medida válida para a maior parte dos Estados, incluindo os maiores produtores do cereal do país, Mato Grosso e Paraná.
 
O preço mínimo do governo, utilizado como referência para programas de apoio à comercialização e subvenções, subiu para o Mato Grosso e Rondônia de 16,71 reais por saca na safra 2017/18 para 17,93 reais por saca na temporada 2018/19 (alta anual de 7,30 por cento).
 
Para Mato Grosso do Sul e Goiás e os Estados do Sudeste e Sul, o preço mínimo da nova safra, cujo plantio começa no segundo semestre, subiu 11 por cento, para 21,62 reais por saca.
 
A alta nos preços mínimos para os principais Estados produtores ocorre em meio a uma quebra de safra no Brasil em 2017/18, devido à seca, o que tem sustentado as cotações no mercado brasileiro.
 
Por outro lado, o governo reduziu em 2,1 por cento o preço mínimo para o oeste da Bahia, sul de Maranhão, sul do Piauí e Tocantins, regiões que integram uma nova fronteira agrícola. O valor foi estabelecido em 20,41 reais por saca.
 

Fonte: Reuters

Brasil eleva preço mínimo do milho para maiores produtores em 2018/19

20/06/2018

O Ministério da Agricultura publicou nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União, um aumento nos preços mínimos do milho para a nova safra 2018/19, em medida válida para a maior parte dos Estados, incluindo os maiores produtores do cereal do país, Mato Grosso e Paraná.
 
O preço mínimo do governo, utilizado como referência para programas de apoio à comercialização e subvenções, subiu para o Mato Grosso e Rondônia de 16,71 reais por saca na safra 2017/18 para 17,93 reais por saca na temporada 2018/19 (alta anual de 7,30 por cento).
 
Para Mato Grosso do Sul e Goiás e os Estados do Sudeste e Sul, o preço mínimo da nova safra, cujo plantio começa no segundo semestre, subiu 11 por cento, para 21,62 reais por saca.
 
A alta nos preços mínimos para os principais Estados produtores ocorre em meio a uma quebra de safra no Brasil em 2017/18, devido à seca, o que tem sustentado as cotações no mercado brasileiro.
 
Por outro lado, o governo reduziu em 2,1 por cento o preço mínimo para o oeste da Bahia, sul de Maranhão, sul do Piauí e Tocantins, regiões que integram uma nova fronteira agrícola. O valor foi estabelecido em 20,41 reais por saca.