http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/2-inovacana.html
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://bit.ly/2ktdMMm
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx

FGV: Monitor do PIB aponta alta de 0,1% no terceiro trimestre ante segundo trimestre

Voltar

Economia

23/11/2017

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% em setembro ante agosto, estima o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por meio do Monitor do PIB. No terceiro trimestre, o avanço foi também de 0,1% em comparação ao segundo trimestre do ano.
O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.
"No mês de setembro, a economia continuou a crescer e no terceiro trimestre completaram três trimestres de taxas positivas na série com ajuste sazonal. Nessa comparação, a agropecuária após um primeiro trimestre espetacular apresentou no segundo e terceiro trimestres taxas de variação negativas, enquanto a indústria e os serviços foram positivos. A indústria de transformação e o comércio apresentam os melhores resultados. Surpreende a taxa positiva (0,2%) da Construção após dez trimestres de resultados negativos", avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB, em nota oficial.
Em relação a agosto do ano passado, o PIB subiu 1,3% em setembro de 2017, a quinta taxa positiva consecutiva. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB apresentou crescimento também de 1,3% no terceiro trimestre. Os destaques foram os desempenhos positivos da agropecuária (10,2%), da transformação (3,3%), do comércio (5,3%) e dos transportes (3,6%). A construção teve significativa retração, de -6,4%, enquanto os serviços de informação recuaram 4,9%.
O PIB acumulado em 2017 até o mês de setembro totalizou R$ 6,266 trilhões em valores correntes.
O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% em setembro ante agosto, estima o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por meio do Monitor do PIB. No terceiro trimestre, o avanço foi também de 0,1% em comparação ao segundo trimestre do ano.
O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.
"No mês de setembro, a economia continuou a crescer e no terceiro trimestre completaram três trimestres de taxas positivas na série com ajuste sazonal. Nessa comparação, a agropecuária após um primeiro trimestre espetacular apresentou no segundo e terceiro trimestres taxas de variação negativas, enquanto a indústria e os serviços foram positivos. A indústria de transformação e o comércio apresentam os melhores resultados. Surpreende a taxa positiva (0,2%) da Construção após dez trimestres de resultados negativos", avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB, em nota oficial.
Em relação a agosto do ano passado, o PIB subiu 1,3% em setembro de 2017, a quinta taxa positiva consecutiva. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB apresentou crescimento também de 1,3% no terceiro trimestre. Os destaques foram os desempenhos positivos da agropecuária (10,2%), da transformação (3,3%), do comércio (5,3%) e dos transportes (3,6%). A construção teve significativa retração, de -6,4%, enquanto os serviços de informação recuaram 4,9%.
O PIB acumulado em 2017 até o mês de setembro totalizou R$ 6,266 trilhões em valores correntes.

Fonte: O Estado de S. Paulo

FGV: Monitor do PIB aponta alta de 0,1% no terceiro trimestre ante segundo trimestre

23/11/2017

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% em setembro ante agosto, estima o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por meio do Monitor do PIB. No terceiro trimestre, o avanço foi também de 0,1% em comparação ao segundo trimestre do ano.
O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.
"No mês de setembro, a economia continuou a crescer e no terceiro trimestre completaram três trimestres de taxas positivas na série com ajuste sazonal. Nessa comparação, a agropecuária após um primeiro trimestre espetacular apresentou no segundo e terceiro trimestres taxas de variação negativas, enquanto a indústria e os serviços foram positivos. A indústria de transformação e o comércio apresentam os melhores resultados. Surpreende a taxa positiva (0,2%) da Construção após dez trimestres de resultados negativos", avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB, em nota oficial.
Em relação a agosto do ano passado, o PIB subiu 1,3% em setembro de 2017, a quinta taxa positiva consecutiva. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB apresentou crescimento também de 1,3% no terceiro trimestre. Os destaques foram os desempenhos positivos da agropecuária (10,2%), da transformação (3,3%), do comércio (5,3%) e dos transportes (3,6%). A construção teve significativa retração, de -6,4%, enquanto os serviços de informação recuaram 4,9%.
O PIB acumulado em 2017 até o mês de setembro totalizou R$ 6,266 trilhões em valores correntes.
O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% em setembro ante agosto, estima o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por meio do Monitor do PIB. No terceiro trimestre, o avanço foi também de 0,1% em comparação ao segundo trimestre do ano.
O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.
"No mês de setembro, a economia continuou a crescer e no terceiro trimestre completaram três trimestres de taxas positivas na série com ajuste sazonal. Nessa comparação, a agropecuária após um primeiro trimestre espetacular apresentou no segundo e terceiro trimestres taxas de variação negativas, enquanto a indústria e os serviços foram positivos. A indústria de transformação e o comércio apresentam os melhores resultados. Surpreende a taxa positiva (0,2%) da Construção após dez trimestres de resultados negativos", avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB, em nota oficial.
Em relação a agosto do ano passado, o PIB subiu 1,3% em setembro de 2017, a quinta taxa positiva consecutiva. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB apresentou crescimento também de 1,3% no terceiro trimestre. Os destaques foram os desempenhos positivos da agropecuária (10,2%), da transformação (3,3%), do comércio (5,3%) e dos transportes (3,6%). A construção teve significativa retração, de -6,4%, enquanto os serviços de informação recuaram 4,9%.
O PIB acumulado em 2017 até o mês de setembro totalizou R$ 6,266 trilhões em valores correntes.