http://www.premiomulheresdoagro.com.br/
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/12-grande-encontro-sobre-variedades-de-cana-de-acucar.html
http://www.rgis.com.br
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/

Mesmo fraca, La Niña deve impactar clima no Brasil

Voltar

Meio Ambiente

16/01/2018
  Compartilhe:

Embora a região sul do país não esteja com chuvas muito regulares, a região entre o sudeste e o centro-oeste do Brasil está com índice constante de precipitação - com destaque para o Mato Grosso, que tem tido chuvas volumosas e quase ininterruptas desde dezembro.

Segundo a meteorologista Graziella Gonçalves, a tendência é de que esse perfil de chuvas deva se manter no país pelos próximos 15 dias. Em entrevista ao vivo, transmitida na página de Globo Rural no Facebook, a especialista diz que isso deve acontecer por conta de uma La Niña. "Durante o verão, a La Niña permanecerá ativa. Portanto, a tendência é que as chuvas continuem".

Graziella destaca que a La Niña desse ano está fraca, o que torna sua influencia sobre as chuvas menor, o que não é boa notícia para a região Nordeste. "Normalmente, a La Niña desfavorece o sul e favoreça o nordeste do país com mais chuvas, mas, por ser uma La Niña fraca, isso não tem acontecido. O impacto das chuvas para o Nordeste não tem sido tão significativo e elas estão mal distribuídas na região", diz.

Confira a seguir a entrevista completa com a especialista, Graziella Gonçalves, clicando aqui.

Fonte: Globo Rural

Mesmo fraca, La Niña deve impactar clima no Brasil

16/01/2018

Embora a região sul do país não esteja com chuvas muito regulares, a região entre o sudeste e o centro-oeste do Brasil está com índice constante de precipitação - com destaque para o Mato Grosso, que tem tido chuvas volumosas e quase ininterruptas desde dezembro.

Segundo a meteorologista Graziella Gonçalves, a tendência é de que esse perfil de chuvas deva se manter no país pelos próximos 15 dias. Em entrevista ao vivo, transmitida na página de Globo Rural no Facebook, a especialista diz que isso deve acontecer por conta de uma La Niña. "Durante o verão, a La Niña permanecerá ativa. Portanto, a tendência é que as chuvas continuem".

Graziella destaca que a La Niña desse ano está fraca, o que torna sua influencia sobre as chuvas menor, o que não é boa notícia para a região Nordeste. "Normalmente, a La Niña desfavorece o sul e favoreça o nordeste do país com mais chuvas, mas, por ser uma La Niña fraca, isso não tem acontecido. O impacto das chuvas para o Nordeste não tem sido tão significativo e elas estão mal distribuídas na região", diz.

Confira a seguir a entrevista completa com a especialista, Graziella Gonçalves, clicando aqui.