http://bit.ly/2ktdMMm
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/2-inovacana.html
http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx

Milho: Com perspectiva de clima melhor nos EUA, mercado inicia 3ª com leves quedas em Chicago

Voltar

Geral

24/04/2018

Os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) iniciaram o pregão desta terça-feira (24) com ligeiras quedas, próximos da estabilidade. As principais posições da commodity testavam perdas entre 0,50 e 0,75 pontos, por volta das 8h16 (horário de Brasília). O maio/18 operava a US$ 3,78 por bushel, enquanto o julho/18 trabalhava a US$ 3,87 por bushel. O setembro/18 era negociado a US$ 3,94 por bushel.

As agências internacionais reforçam que os traders permanecem atentos ao clima e ao ritmo do plantio da nova safra nos Estados Unidos. Ainda no final da tarde desta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) confirmou o atraso nos trabalhos nos campos e indicou a semeadura completa em 5% da área estimada para essa temporada.

Na semana anterior, o número era de 3% e as expectativas dos participantes do mercado giravam entre 6% a 8%. No ano anterior, no mesmo período, cerca de 15% da área já havia sido plantadas e a média dos últimos anos é de 14%.

"Ainda assim, um problema para os ganhos é a perspectiva de um tempo melhor à frente e uma grande confiança na capacidade dos agricultores americanos de recuperar o atraso na semeadura", reportou o Agrimoney.com.

Fonte: Notícias Agrícolas

Milho: Com perspectiva de clima melhor nos EUA, mercado inicia 3ª com leves quedas em Chicago

24/04/2018

Os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) iniciaram o pregão desta terça-feira (24) com ligeiras quedas, próximos da estabilidade. As principais posições da commodity testavam perdas entre 0,50 e 0,75 pontos, por volta das 8h16 (horário de Brasília). O maio/18 operava a US$ 3,78 por bushel, enquanto o julho/18 trabalhava a US$ 3,87 por bushel. O setembro/18 era negociado a US$ 3,94 por bushel.

As agências internacionais reforçam que os traders permanecem atentos ao clima e ao ritmo do plantio da nova safra nos Estados Unidos. Ainda no final da tarde desta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) confirmou o atraso nos trabalhos nos campos e indicou a semeadura completa em 5% da área estimada para essa temporada.

Na semana anterior, o número era de 3% e as expectativas dos participantes do mercado giravam entre 6% a 8%. No ano anterior, no mesmo período, cerca de 15% da área já havia sido plantadas e a média dos últimos anos é de 14%.

"Ainda assim, um problema para os ganhos é a perspectiva de um tempo melhor à frente e uma grande confiança na capacidade dos agricultores americanos de recuperar o atraso na semeadura", reportou o Agrimoney.com.