http://www.rossam.com.br/index.html
http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-produtividade-e-reducao-de-custos-2018.html

Milho: Na CBOT, mercado recua pelo 3º dia consecutivo e exibe leves desvalorizações na manhã desta 4ª

Voltar

Geral

31/10/2018
  Compartilhe:

Pelo terceiro dia consecutivo, os preços futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) operam em campo negativo. Às 8h37 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam quedas entre 0,50 e 1,50 pontos. O vencimento dezembro/18 operava a US$ 3,64 por bushel, enquanto o março/19 trabalhava a US$ 3,76 por bushel.
 
De acordo com informações reportadas pela agência Reuters internacional, o mercado permanece pressionado pelas previsões de clima favorável nos EUA, o que deve contribuir para a colheita do cereal. Segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), até o último domingo, cerca de 63% da área semeada nesta temporada já havia sido colhida.
 
"Há uma safra abundante nos EUA que está entrando no mercado", disse um trader de grãos de Melbourne em entrevista à agência Reuters.

Fonte: Notícias Agrícolas

Milho: Na CBOT, mercado recua pelo 3º dia consecutivo e exibe leves desvalorizações na manhã desta 4ª

31/10/2018

Pelo terceiro dia consecutivo, os preços futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) operam em campo negativo. Às 8h37 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam quedas entre 0,50 e 1,50 pontos. O vencimento dezembro/18 operava a US$ 3,64 por bushel, enquanto o março/19 trabalhava a US$ 3,76 por bushel.
 
De acordo com informações reportadas pela agência Reuters internacional, o mercado permanece pressionado pelas previsões de clima favorável nos EUA, o que deve contribuir para a colheita do cereal. Segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), até o último domingo, cerca de 63% da área semeada nesta temporada já havia sido colhida.
 
"Há uma safra abundante nos EUA que está entrando no mercado", disse um trader de grãos de Melbourne em entrevista à agência Reuters.