http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.rgis.com.br
http://www.premiomulheresdoagro.com.br/
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/12-grande-encontro-sobre-variedades-de-cana-de-acucar.html

Moagem atinge 38,51 milhões de toneladas e venda de hidratado segue aquecida na 1ª quinzena de setembro

Voltar

Etanol

26/09/2018
  Compartilhe:

A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras do Centro-Sul atingiu 38,51 milhões de toneladas na primeira metade de setembro, queda de 15,31% sobre o resultado da mesma quinzena de 2017. No acumulado desde o início da safra 2018/2019 até 15 de setembro, o processamento chegou a 430,35 milhões de toneladas, praticamente o mesmo valor observado em igual período do ciclo anterior (428,32 milhões de toneladas).

Dados preliminares do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) baseados em uma amostra de 81 usinas indicam que o rendimento do canavial alcançou 70,73 toneladas por hectare colhido na primeira quinzena de setembro, contra 77,87 toneladas por hectare no mesmo período 2017 - queda de 9,16%). Os dados efetivos para o mês serão confirmados no próximo release.

“Como era esperado, a intensa quebra agrícola registrada deve repercutir na data de término da safra no Centro-Sul”, explica Antonio de Padua Rodrigues, diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA). Informações apuradas pela entidade a partir de uma amostra com 237 unidades produtoras mostram que apenas 12% das empresas devem processar cana em dezembro 2018, contra 36% verificados no mesmo mês de 2017. O cronograma apurado pela UNICA mostra que 38% das usinas do Centro-Sul devem encerrar a safra até o final de outubro e 49% das empresas devem concluir a moagem ao longo do mês de novembro.

Antonio de Padua acrescenta: “Apenas 25% das usinas devem postergar o término da safra 2018/2019 em relação a data de encerramento verificada no ciclo 2017/2018. O prazo médio de atraso para essas empresas é de apenas 12 dias.

Cerca de 75% das unidades em operação devem adiantar o final da safra 2018/2019, com prazo médio de antecipação de 27 dias em relação ao encerramento da safra passada e ampliação do período de entressafra”.


Produção e mix
Na primeira metade de setembro, a fabricação de açúcar caiu 31,57% em relação a mesma quinzena de 2017, somando 2,15 milhão de toneladas. Já no caso do etanol, houve aumento de 6,86%, com 2,25 bilhões de litros produzidos (1,56 bilhão de hidratado e 696,65 milhões de anidro).

Desde o início da safra 2018/2019 até 15 de setembro, a quantidade fabricada de açúcar totalizou 20,99 milhões de toneladas, recuo de 20,72% quando comparada ao mesmo período de 2017. Em sentido inverso, a produção de etanol acumula alta de 30,31%, alcançando 22,75 bilhões de litros (7,05 bilhões de anidro e 15,70 bilhões de hidratado).

Com isso, 62,73% da matéria-prima processada nos 15 dias iniciais de setembro destinaram-se à produção de etanol (versus 52,02% na mesma quinzena de 2017). Na safra, esse percentual atinge 63,40%.

Qualidade da matéria-prima
A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima processada atingiu 156,97 kg na primeira quinzena de setembro, 6,05 kg acima do valor apurado em igual período do ano passado. No acumulado da safra, o indicador totalizou 139,89 kg de ATR por tonelada, alta de 4,44% em relação ao ciclo 2017/2018.

Vendas de etanol
No mercado doméstico, como reflexo da enorme competividade do etanol frente à gasolina, as vendas do biocombustível hidratado pelas unidades do Centro-Sul atingiram 962,32 milhões de litros na primeira quinzena de setembro – expressiva alta de 42,69% em comparação aos 674,42 milhões de litros verificados em igual período do ano passado. No caso do etanol anidro, o volume alcançou 353,68 milhões de litros nos primeiros 15 dias do mês.

No total, as vendas de etanol somaram 1,31 bilhão de litros ante 1,47 bilhão de litros na segunda quinzena de agosto de 2018. Essa redução decorre do menor número de dias úteis na 1ª quinzena de setembro.

No acumulado de abril até 15 de setembro deste ano, as vendas de etanol pelas usinas e destilarias do Centro-Sul totalizaram 13,58 bilhões de litros, sendo 775,00 milhões destinados ao mercado externo e 12,80 bilhões comercializados domesticamente – crescimento de 18,08% na comparação com o mesmo período da safra passada.

Fonte: UNICA

Moagem atinge 38,51 milhões de toneladas e venda de hidratado segue aquecida na 1ª quinzena de setembro

26/09/2018

A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras do Centro-Sul atingiu 38,51 milhões de toneladas na primeira metade de setembro, queda de 15,31% sobre o resultado da mesma quinzena de 2017. No acumulado desde o início da safra 2018/2019 até 15 de setembro, o processamento chegou a 430,35 milhões de toneladas, praticamente o mesmo valor observado em igual período do ciclo anterior (428,32 milhões de toneladas).

Dados preliminares do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) baseados em uma amostra de 81 usinas indicam que o rendimento do canavial alcançou 70,73 toneladas por hectare colhido na primeira quinzena de setembro, contra 77,87 toneladas por hectare no mesmo período 2017 - queda de 9,16%). Os dados efetivos para o mês serão confirmados no próximo release.

“Como era esperado, a intensa quebra agrícola registrada deve repercutir na data de término da safra no Centro-Sul”, explica Antonio de Padua Rodrigues, diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA). Informações apuradas pela entidade a partir de uma amostra com 237 unidades produtoras mostram que apenas 12% das empresas devem processar cana em dezembro 2018, contra 36% verificados no mesmo mês de 2017. O cronograma apurado pela UNICA mostra que 38% das usinas do Centro-Sul devem encerrar a safra até o final de outubro e 49% das empresas devem concluir a moagem ao longo do mês de novembro.

Antonio de Padua acrescenta: “Apenas 25% das usinas devem postergar o término da safra 2018/2019 em relação a data de encerramento verificada no ciclo 2017/2018. O prazo médio de atraso para essas empresas é de apenas 12 dias.

Cerca de 75% das unidades em operação devem adiantar o final da safra 2018/2019, com prazo médio de antecipação de 27 dias em relação ao encerramento da safra passada e ampliação do período de entressafra”.


Produção e mix
Na primeira metade de setembro, a fabricação de açúcar caiu 31,57% em relação a mesma quinzena de 2017, somando 2,15 milhão de toneladas. Já no caso do etanol, houve aumento de 6,86%, com 2,25 bilhões de litros produzidos (1,56 bilhão de hidratado e 696,65 milhões de anidro).

Desde o início da safra 2018/2019 até 15 de setembro, a quantidade fabricada de açúcar totalizou 20,99 milhões de toneladas, recuo de 20,72% quando comparada ao mesmo período de 2017. Em sentido inverso, a produção de etanol acumula alta de 30,31%, alcançando 22,75 bilhões de litros (7,05 bilhões de anidro e 15,70 bilhões de hidratado).

Com isso, 62,73% da matéria-prima processada nos 15 dias iniciais de setembro destinaram-se à produção de etanol (versus 52,02% na mesma quinzena de 2017). Na safra, esse percentual atinge 63,40%.

Qualidade da matéria-prima
A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima processada atingiu 156,97 kg na primeira quinzena de setembro, 6,05 kg acima do valor apurado em igual período do ano passado. No acumulado da safra, o indicador totalizou 139,89 kg de ATR por tonelada, alta de 4,44% em relação ao ciclo 2017/2018.

Vendas de etanol
No mercado doméstico, como reflexo da enorme competividade do etanol frente à gasolina, as vendas do biocombustível hidratado pelas unidades do Centro-Sul atingiram 962,32 milhões de litros na primeira quinzena de setembro – expressiva alta de 42,69% em comparação aos 674,42 milhões de litros verificados em igual período do ano passado. No caso do etanol anidro, o volume alcançou 353,68 milhões de litros nos primeiros 15 dias do mês.

No total, as vendas de etanol somaram 1,31 bilhão de litros ante 1,47 bilhão de litros na segunda quinzena de agosto de 2018. Essa redução decorre do menor número de dias úteis na 1ª quinzena de setembro.

No acumulado de abril até 15 de setembro deste ano, as vendas de etanol pelas usinas e destilarias do Centro-Sul totalizaram 13,58 bilhões de litros, sendo 775,00 milhões destinados ao mercado externo e 12,80 bilhões comercializados domesticamente – crescimento de 18,08% na comparação com o mesmo período da safra passada.