http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/14-seminario-sobre-controle-de-pragas-da-cana.html
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://bit.ly/2ktdMMm
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner

Perspectiva de produtividade das lavouras se mantém estáveis

Voltar

Agronegócio

29/05/2018

Uma massa de ar polar que ainda continua atuando sobre grande parte do centro-sul, mantém o tempo seco e sem previsão de chuva em praticamente todo o Brasil. As exceções são as faixas norte da Região Norte e o recôncavo baiano, que ficam com tempo instável e chuva a qualquer hora do dia.
 
O ar seco, que impede a formação de nuvens de chuva, já começa a perder força e com isso, na próxima quinta-feira (31), uma nova frente fria começa a avançar sobre o Rio Grande do Sul, levando chuva a grande parte do estado. Segundo os modelos de previsão, o sistema deve avançar também ao longo do feriado de Corpus Christi pelas regiões produtoras de Santa Catarina, Paraná, regiões sul do Mato Grasso do Sul, sul e leste de São Paulo.
 
Apenas na próxima semana é que a frente fria pode avançar um pouco mais, levando chuva na forma de pancadas bem irregulares às demais regiões produtoras de São Paulo, Mato Grosso do Sul, sul e sudoeste de Goiás e metade sul de Minas Gerais. Também pode ser registrado pancadas isoladas sobre alguns pontos das regiões oeste e sul do Mato Grosso.
 
Mesmo com a possibilidade de que ocorra pancadas de chuva sobre alguns pontos do Sudeste e Centro-Oeste, no próximo final de semana e início da semana que vem, as pancadas serão extremamente pontuais e de baixa intensidade, não alterando muito as condições atuais das lavouras.
 
Condição das lavouras
 
As perspectivas de produtividade para as lavouras de milho, feijão, algodão, milho, cana-de-açúcar e café se mantém inalteradas ao longo das próximas semanas. Não há nenhum indicativo de que ocorra qualquer tipo de intempérie climática ao ponto de provocar novas perdas e nem mesmo fomentar a produtividade. Por outro lado, o tempo mais firme mantém as condições bastante favoráveis à realização dos trabalhos de colheita e tratos culturais.

Fonte: Climatempo

Perspectiva de produtividade das lavouras se mantém estáveis

29/05/2018

Uma massa de ar polar que ainda continua atuando sobre grande parte do centro-sul, mantém o tempo seco e sem previsão de chuva em praticamente todo o Brasil. As exceções são as faixas norte da Região Norte e o recôncavo baiano, que ficam com tempo instável e chuva a qualquer hora do dia.
 
O ar seco, que impede a formação de nuvens de chuva, já começa a perder força e com isso, na próxima quinta-feira (31), uma nova frente fria começa a avançar sobre o Rio Grande do Sul, levando chuva a grande parte do estado. Segundo os modelos de previsão, o sistema deve avançar também ao longo do feriado de Corpus Christi pelas regiões produtoras de Santa Catarina, Paraná, regiões sul do Mato Grasso do Sul, sul e leste de São Paulo.
 
Apenas na próxima semana é que a frente fria pode avançar um pouco mais, levando chuva na forma de pancadas bem irregulares às demais regiões produtoras de São Paulo, Mato Grosso do Sul, sul e sudoeste de Goiás e metade sul de Minas Gerais. Também pode ser registrado pancadas isoladas sobre alguns pontos das regiões oeste e sul do Mato Grosso.
 
Mesmo com a possibilidade de que ocorra pancadas de chuva sobre alguns pontos do Sudeste e Centro-Oeste, no próximo final de semana e início da semana que vem, as pancadas serão extremamente pontuais e de baixa intensidade, não alterando muito as condições atuais das lavouras.
 
Condição das lavouras
 
As perspectivas de produtividade para as lavouras de milho, feijão, algodão, milho, cana-de-açúcar e café se mantém inalteradas ao longo das próximas semanas. Não há nenhum indicativo de que ocorra qualquer tipo de intempérie climática ao ponto de provocar novas perdas e nem mesmo fomentar a produtividade. Por outro lado, o tempo mais firme mantém as condições bastante favoráveis à realização dos trabalhos de colheita e tratos culturais.