http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.rossam.com.br/index.html
http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx

Preços caem em Nova York com novas estimativas de superávit global; Londres sobe

Voltar

Açúcar

04/04/2018
  Compartilhe:

Os contratos futuros do açúcar fecharam em queda na bolsa de Nova York ontem (3), pressionados pelas previsões de superávit na oferta mundial da commodity nos próximos dois anos. "Para a FCStone, esse superávit deverá ser de 6,9 milhões de toneladas em 2017/18, quase o dobro do apontado em fevereiro. Já o Rabobank estima um superávit de 7,6 milhões de toneladas para o mesmo ciclo e de 4,4 milhões de toneladas em 2018/19", informaram os analistas do jornal Valor Econômico de hoje (4).
 
No vencimento maio/18 da bolsa norte-americana, a baixa foi de 5 pontos, com preços firmados em 12.47 centavos de dólar por libra-peso. Na tela julho/18, os negócios foram fechados em 12.61 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de dois pontos. Os demais contratos caíram entre dois e seis pontos
Já na bolsa de Londres, os preços do açúcar fecharam em alta em todos os lotes. Na tela maio/18, a commodity foi negociada a US$ 354,70 a tonelada, valorização de 3,50 dólares. No vencimento agosto/18, os preços foram firmados em US$ 345,90 a tonelada, alta de 3,10 dólares. Os demais negócios subiram entre 2,10 e 2,70 dólares.

Mercado interno
No Brasil, os preços do açúcar, indicados pelo Cepea/Esalq, da USP, tiveram mais uma alta nesta terça-feira (3). A saca de 50 quilos do tipo cristal foi comercializada a R$ 53,52, alta de 0,07% em comparação ao dia anterior.

Etanol hidratado
O etanol hidratado, vendido pelas usinas paulistas, fechou em baixa mais uma vez ontem. O metro cúbico do biocombustível teve desvalorização de 1,57%, comercializado a R$ 1.781,50.

Fonte: UDOP

Preços caem em Nova York com novas estimativas de superávit global; Londres sobe

04/04/2018

Os contratos futuros do açúcar fecharam em queda na bolsa de Nova York ontem (3), pressionados pelas previsões de superávit na oferta mundial da commodity nos próximos dois anos. "Para a FCStone, esse superávit deverá ser de 6,9 milhões de toneladas em 2017/18, quase o dobro do apontado em fevereiro. Já o Rabobank estima um superávit de 7,6 milhões de toneladas para o mesmo ciclo e de 4,4 milhões de toneladas em 2018/19", informaram os analistas do jornal Valor Econômico de hoje (4).
 
No vencimento maio/18 da bolsa norte-americana, a baixa foi de 5 pontos, com preços firmados em 12.47 centavos de dólar por libra-peso. Na tela julho/18, os negócios foram fechados em 12.61 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de dois pontos. Os demais contratos caíram entre dois e seis pontos
Já na bolsa de Londres, os preços do açúcar fecharam em alta em todos os lotes. Na tela maio/18, a commodity foi negociada a US$ 354,70 a tonelada, valorização de 3,50 dólares. No vencimento agosto/18, os preços foram firmados em US$ 345,90 a tonelada, alta de 3,10 dólares. Os demais negócios subiram entre 2,10 e 2,70 dólares.

Mercado interno
No Brasil, os preços do açúcar, indicados pelo Cepea/Esalq, da USP, tiveram mais uma alta nesta terça-feira (3). A saca de 50 quilos do tipo cristal foi comercializada a R$ 53,52, alta de 0,07% em comparação ao dia anterior.

Etanol hidratado
O etanol hidratado, vendido pelas usinas paulistas, fechou em baixa mais uma vez ontem. O metro cúbico do biocombustível teve desvalorização de 1,57%, comercializado a R$ 1.781,50.