http://www.premiomulheresdoagro.com.br/
http://www.rgis.com.br
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/12-grande-encontro-sobre-variedades-de-cana-de-acucar.html
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/

Preços do açúcar seguem em alta na bolsa de Nova York

Voltar

Açúcar

12/06/2018
  Compartilhe:

Os preços do açúcar continuam em alta na bolsa de Nova York, refletindo a trajetória de baixa do dólar ante o real até o fechamento do pregão da commodity. No vencimento julho/18, os negócios foram firmados em 12.35 centavos de dólar por libra-peso, alta de 10 pontos. Na tela outubro/18, os preços fecharam em 12.64 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 12 pontos.
 
"O Brasil é o maior produtor mundial de açúcar, e o mercado tem acompanhado os efeitos de um crescimento instável e de eleições presidenciais incertas para a economia do país", informou o jornal Valor Econômico de hoje (12). "O real mais forte ou mais fraco tende a reduzir ou elevar as vendas de açúcar pelos produtores diante das margens geradas pela diferença cambial", conclui a nota.
 
Em Londres, o mercado de açúcar também fechou em alta. No lote agosto/18, houve valorização de 4,50 dólares, com preços firmados em US$ 351,00 a tonelada. Na tela outubro/18, a commodity foi comercializada a US$ 348,40 a tonelada, alta de 4,70 dólares. Os demais contratos subiram entre 2,10 e 4,70 dólares.
 
Mercado interno
 
No Brasil, os preços do açúcar fecharam em alta mais uma vez, de acordo com o indicador do Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos do tipo cristal foi comercializada a R$ 58,44, alta de 1,67% no comparativo entre os dias.
 
Etanol
 
O etanol hidratado, voltou a cair no mercado paulista, após duas altas consecutivas. O biocombustível foi comercializado a R$ 1.751,50 o metro cúbico, queda de 0,79% no comparativo com a sexta-feira.

Fonte: UDOP

Preços do açúcar seguem em alta na bolsa de Nova York

12/06/2018

Os preços do açúcar continuam em alta na bolsa de Nova York, refletindo a trajetória de baixa do dólar ante o real até o fechamento do pregão da commodity. No vencimento julho/18, os negócios foram firmados em 12.35 centavos de dólar por libra-peso, alta de 10 pontos. Na tela outubro/18, os preços fecharam em 12.64 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 12 pontos.
 
"O Brasil é o maior produtor mundial de açúcar, e o mercado tem acompanhado os efeitos de um crescimento instável e de eleições presidenciais incertas para a economia do país", informou o jornal Valor Econômico de hoje (12). "O real mais forte ou mais fraco tende a reduzir ou elevar as vendas de açúcar pelos produtores diante das margens geradas pela diferença cambial", conclui a nota.
 
Em Londres, o mercado de açúcar também fechou em alta. No lote agosto/18, houve valorização de 4,50 dólares, com preços firmados em US$ 351,00 a tonelada. Na tela outubro/18, a commodity foi comercializada a US$ 348,40 a tonelada, alta de 4,70 dólares. Os demais contratos subiram entre 2,10 e 4,70 dólares.
 
Mercado interno
 
No Brasil, os preços do açúcar fecharam em alta mais uma vez, de acordo com o indicador do Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos do tipo cristal foi comercializada a R$ 58,44, alta de 1,67% no comparativo entre os dias.
 
Etanol
 
O etanol hidratado, voltou a cair no mercado paulista, após duas altas consecutivas. O biocombustível foi comercializado a R$ 1.751,50 o metro cúbico, queda de 0,79% no comparativo com a sexta-feira.