http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.rossam.com.br/index.html
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-produtividade-e-reducao-de-custos-2018.html

Produtividade agrícola pode crescer com investimento em pesquisa

Voltar

Agricultura

05/11/2018
  Compartilhe:

Com uma preocupação cada vez maior em se aumentar a produtividade agrícola sem o aumento de área plantada, pesquisadores buscam soluções dentro do campo da ciência. Para o professor do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Paulo Arruda, a eficiência na produção agrícola depende de dois vetores: manejo e genética.

"Manejo envolve condições de solo, clima e como utilizar recursos para combater pragas. Já a genética, também por meio das pesquisas científicas, da genômica e do melhoramento genético desenvolve as variedades mais produtivas adaptadas às diferentes regiões e condições climáticas”, disse à Agência Fapesp.

Além da pesquisa genética, há também as técnicas de manejo integrado, que podem ser feitas a partir do uso de agrotóxicos e com outras técnicas como o uso de feromônios (substâncias químicas para atrair pragas em lavouras), ou de insetos e microrganismos que atuam como inimigos naturais de uma determinada praga.

“O manejo integrado de pragas é um conjunto de medidas que, além de levar em conta os critérios econômicos, também considera questões ecológicas e sociais. A medida que chama mais atenção são os produtos químicos, exatamente porque causam, se aplicados de forma indiscriminada, problemas como intoxicação para quem aplicou, resíduos nos alimentos, na água e no solo”, disse o professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP, José Roberto Postali Parra.

Fonte: Uagro

Produtividade agrícola pode crescer com investimento em pesquisa

05/11/2018

Com uma preocupação cada vez maior em se aumentar a produtividade agrícola sem o aumento de área plantada, pesquisadores buscam soluções dentro do campo da ciência. Para o professor do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Paulo Arruda, a eficiência na produção agrícola depende de dois vetores: manejo e genética.

"Manejo envolve condições de solo, clima e como utilizar recursos para combater pragas. Já a genética, também por meio das pesquisas científicas, da genômica e do melhoramento genético desenvolve as variedades mais produtivas adaptadas às diferentes regiões e condições climáticas”, disse à Agência Fapesp.

Além da pesquisa genética, há também as técnicas de manejo integrado, que podem ser feitas a partir do uso de agrotóxicos e com outras técnicas como o uso de feromônios (substâncias químicas para atrair pragas em lavouras), ou de insetos e microrganismos que atuam como inimigos naturais de uma determinada praga.

“O manejo integrado de pragas é um conjunto de medidas que, além de levar em conta os critérios econômicos, também considera questões ecológicas e sociais. A medida que chama mais atenção são os produtos químicos, exatamente porque causam, se aplicados de forma indiscriminada, problemas como intoxicação para quem aplicou, resíduos nos alimentos, na água e no solo”, disse o professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP, José Roberto Postali Parra.