http://www.premiomulheresdoagro.com.br/
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/12-grande-encontro-sobre-variedades-de-cana-de-acucar.html
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.rgis.com.br

Projeções de ganhos econômicos com a armazenagem da soja são confirmadas

Voltar

Geral

27/07/2018
  Compartilhe:

Como previsto pelo Grupo ESALQ-LOG, a utilização da armazenagem no primeiro semestre de 2018 se mostrou como uma aliada aos produtores e exportadores de soja no Brasil, em especial aqueles que optaram por armazenar o grão após a colheita e comercializá-lo entre os meses de abril e junho. Dados do SIARMA (Sistema de Informações de Armazenagem) mostram que a armazenagem possibilitou aos produtores um aumento de receita de até R$ 10,00 por saca. As pesquisas também indicaram fatores como o preço do câmbio e o mercado de fretes como os principais influenciadores para este ganho, uma vez que implicam diretamente nos valores de comercialização do grão.

A partir do segundo semestre do ano a tendência é que os ganhos econômicos possibilitados pelo uso da armazenagem comecem a decrescer, devido ao início da safra de soja nos Estados Unidos, o que aumenta a oferta do grão no mercado internacional, diminuindo as cotações do mesmo. Além disso, deve-se ressaltar a necessidade de liberar espaço nos armazéns para o recebimento da segunda safra de milho. Neste sentido, o pesquisador do ESALQ-LOG, Fernando Vinícius da Rocha, afirma que “a armazenagem de milho também pode trazer benefícios econômicos, ainda mais pelo fato de os preços do milho estarem em patamares ainda mais baixos que os da soja”, explica. Assim, é provável que a nova safra de milho também ofereça ganhos econômicos ao produtor, ainda que em escala diferente do que foi observado no caso da soja.

Fonte: Assessoria de Comunicação ESALQ-LOG

Projeções de ganhos econômicos com a armazenagem da soja são confirmadas

27/07/2018

Como previsto pelo Grupo ESALQ-LOG, a utilização da armazenagem no primeiro semestre de 2018 se mostrou como uma aliada aos produtores e exportadores de soja no Brasil, em especial aqueles que optaram por armazenar o grão após a colheita e comercializá-lo entre os meses de abril e junho. Dados do SIARMA (Sistema de Informações de Armazenagem) mostram que a armazenagem possibilitou aos produtores um aumento de receita de até R$ 10,00 por saca. As pesquisas também indicaram fatores como o preço do câmbio e o mercado de fretes como os principais influenciadores para este ganho, uma vez que implicam diretamente nos valores de comercialização do grão.

A partir do segundo semestre do ano a tendência é que os ganhos econômicos possibilitados pelo uso da armazenagem comecem a decrescer, devido ao início da safra de soja nos Estados Unidos, o que aumenta a oferta do grão no mercado internacional, diminuindo as cotações do mesmo. Além disso, deve-se ressaltar a necessidade de liberar espaço nos armazéns para o recebimento da segunda safra de milho. Neste sentido, o pesquisador do ESALQ-LOG, Fernando Vinícius da Rocha, afirma que “a armazenagem de milho também pode trazer benefícios econômicos, ainda mais pelo fato de os preços do milho estarem em patamares ainda mais baixos que os da soja”, explica. Assim, é provável que a nova safra de milho também ofereça ganhos econômicos ao produtor, ainda que em escala diferente do que foi observado no caso da soja.