http://www.ideaonline.com.br/conteudo/14-seminario-sobre-controle-de-pragas-da-cana.html
http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/
http://bit.ly/2ktdMMm
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/

Revista Canavieiros: Em pauta, o amendoim!

Voltar

Agronegócio

07/03/2018


Por: Fernanda Clariano

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do IEA (Instituto de Economia Agrícola) e da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), realizou entre 1º e 24 de novembro de 2017 o levantamento das previsões de área e produção de culturas no Estado de São Paulo, referentes à safra agrícola 2017/18. 

Entre os grãos, merece destaque o amendoim, que, quando comparado à safra anterior, apresentou aumento de 3,1% na área plantada, com relevância para o EDR (Escritório de Desenvolvimento Rural) de Jaboticabal, principal região produtora do Estado, que registrou incremento de 24,1%, seguido de outras regionais que também ampliaram o plantio, como Barretos, Marília, Catanduva, Tupã e Dracena. 

Para a produção, as estimativas indicam alta de 5,7%, resultado dos ganhos em produtividade de 2,6%, especialmente nas regiões de Tupã e Catanduva. Esses indicadores refletem as expectativas dos produtores em relação ao comportamento das exportações para o ano de 2018, que devem somar 70,0% da safra.

No cenário nacional, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) em seu 5º levantamento de fevereiro de 2018 aponta uma produção em torno de 500 mil toneladas, o que representa um aumento de 7% em relação a 2016/2017, concentrada no Estado de São Paulo e que responde por mais 90% do total nacional. De acordo com o levantamento de previsão de safras, realizado em novembro de 2017 e divulgado pelo IEA, a safra paulista de amendoim das águas deverá alcançar 482 mil toneladas, 6% superior à 2016/2017 - resultado do incremento de 3% na área plantada (o que corresponde a 126 mil hectares) e de 3% na produtividade média.

Para disseminar essa importante cultura, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a Apta (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios),  através do Polo Regional Centro-Norte e o  IAC (Instituto Agronômico de Campinas), promoveram no dia 7 de fevereiro, o 9º Encontro dos Produtores e Dia de Campo de Amendoim na Fazenda Experimental em Pindorama-SP. O intuito foi apresentar a atualização técnica em tópicos relevantes sobre a cultura e também fornecer informações aos participantes. O evento reuniu mais de 250 pessoas entre produtores rurais ligados à cadeia do amendoim, cooperativas, pesquisadores, técnicos e fornecedores de insumos. 


Ácaros na cultura do amendoim 
A ocorrência de ácaros na cultura do amendoim tem causado prejuízos econômicos e está cada vez mais frequente nas lavouras. Com a proposta de levar para o produtor informações pertinentes relacionadas aos problemas que a cultura enfrenta, o professor dr. Daniel de Andrade, da FCAV/Unesp de Jaboticabal (Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias), discorreu sobre o tema “Ácaros na cultura do amendoim”, onde destacou as possíveis causas, danos e as formas de combate.

Segundo o professor, há três tipos de ácaros importantes na cultura do amendoim: o ácaro vermelho (Tetranychus ogmophallos); o ácaro verde (Mononychellus planki) e o ácaro rajado (Tetranychus urticae). Devido ao potencial de causar prejuízos, o ácaro vermelho é o mais preocupante. “O ácaro vermelho pode infestar a cultura do amendoim rapidamente, pois a população cresce dentro de pouco tempo devido a fêmea depositar muitos ovos com grande rapidez. Em poucos dias, a população pode atingir um nível muito alto e inviabilizar a cultura”, alertou Andrade ao lembrar que, ao longo dos últimos quatro anos, a região paulista de Jaboticabal vem sofrendo com severos ataques de ácaros. 

Cuidados
Pelo fato da mão de obra ser cara, quando o produtor observa o ácaro na cultura, muitas vezes a praga já causou danos e, em alguns casos, não tem volta. De acordo com o professor, além da aplicação de acaricidas, existem outras ações que podem ser realizadas para evitar ou diminuir as infestações. Preparar o solo corretamente e manejar as plantas daninhas sem deixar escape fará com que as fontes de alimento sejam diminuídas. Manejar pragas e doenças também ajuda, já que uma aplicação para controle de lagartas pode ter efeito agregado nos ácaros.

Outra dica é plantar nos períodos mais chuvosos, pois nos períodos secos é mais comum o surgimento dos ácaros, além, é claro, de realizar a colheita adequadamente. 
Custo de produção do amendoim brasileiro x mercado participantes 
O amendoim é um produto consumido mundialmente e o Estado de São Paulo se destaca como o maior Estado produtor do Brasil. O restante é produzido no Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Mato Grosso. 

O mundo comercializa no mercado de amendoim algo emtorno de R$ 9 bilhões (trade MAP/ITC e TAO/OMC). O Brasil (São Paulo) tem uma fatia de R$ 700 milhões em grãos e óleo (equivalente a 7,7%). 

Durante o encontro, o consultor da Entressafra Consultoria, Dejair Minotti, orientou os participantes sobre os custos de produção dos principais concorrentes atuais (Argentina e os Estados Unidos) e o preço que o mercado oferta e é imposto principalmente pela comunidade europeia.

De acordo com algumas considerações de Minotti, a produção de amendoim no Brasil, em especial no estado de SP, nos níveis atuais, somente se mantém com exportação de grãos. A Argentina projeta, no médio prazo, produzir ao redor de 1,7 milhão de toneladas. Os Estados Unidos atualmente ultrapassam 3 milhões de toneladas e o Brasil (SP) terá dificuldades de superar as 600, 700 mil toneladas de hoje. 

Os Estados Unidos e a Argentina já fazem contatos diplomáticos para exportar o produto industrializado enquanto o Brasil está incipiente e deve continuar exportando matéria-prima com menor valor agregado. A ideia de trabalhar outros mercados com amendoim de qualidade alterada é o primeiro passo para ganhar mercado. Diante disso, os concorrentes vão ofertar nesses mercados qualidade a preços competitivos. As empresas precisam desenvolver inteligência de mercado.

“O produtor precisa participar mais dos eventos voltados à cultura, fazer pesquisas e acompanhar o comportamento porque não se pode jogar dinheiro e  produtividade fora”, alertou Minotti. 

Sistema de plantio meiosi x amendoim: vantagens e desafios 
No Estado de São Paulo, o sistema de produção de amendoim está vinculado à cultura da cana-de-açúcar. Porém, este método está bem consolidado em padrões de produção, pautados pela inovação, produtividade e qualidade do produto final. 

A apresentação do gerente agrícola da Agropolegatto, Klinger Branquinho, no 9º Encontro do Amendoim de Pindorama, focou no sistema de plantio meiose x amendoim e em suas vantagens e desafios baseada no planejamento. “Acredito que os desafios estão muito mais ligados em planejamento da parceria entre a produção de cana e a produção de amendoim do que de dificuldades técnicas do sistema”, destacou Branquinho. 

Para o gerente agrícola, a geração de renda é a primeira vantagem, pois ambas as culturas geram resultados. “A meiose ajuda a diluir bastante a geração de renda e também o benefício agronômico da rotação de cultura em função de aporte de fertilidade, controle de pragas e benefício de parceria entre os lados”, disse o profissional que ainda destacou a importância do evento: “Principalmente para a cultura do amendoim, que é carente de instituições de pesquisas, de pesquisadores e de pessoas que atuam diretamente na área, todos os eventos são de extrema importância. São em eventos como este que as pessoas ouvem, aprendem e levam para o dia a dia as informações e, dessa forma, melhoram a qualidade da produção e a rentabilidade da cultura”. 

Transferindo tecnologia e conhecimento
Há anos a Copercana apoia e participa dos projetos do IAC relacionados à cultura do amendoim. 

“Um importante projeto que participamos desde o início é o ‘Programa de Melhoramento Genético do Amendoim para obtenção de Cultivares’, coordenado pelo dr. Ignácio José de Godoy. Por meio deste programa já surgiram diversas cultivares e, atualmente, todo o amendoim cultivado pelos cooperados da Copercana são de cultivares alto oleicas do IAC. Outra iniciativa do instituto que também apoiamos é este ‘Encontro de Produtores e Dia de Campo de Amendoim’, que há nove anos traz informação e atualização aos profissionais e produtores sobre novas técnicas de produção e manejo, situação atual do mercado e uma visão do que podemos esperar para o futuro com relação às novas cultivares”, destacou o encarregado de comercialização da Uname, Juliano José Valerio.

Há quase uma década difundindo a cultura
Prestes a completar dez anos de evento, o pesquisador do IAC, dr. Godoy, comentou sobre os preparativos. “Todo ano nos reunimos para decidir como será feito o encontro e quais serão os palestrantes. Percebemos que este evento vem aumentando a cada ano, criando um certo compromisso com quem nos prestigia. Estamos caminhando para a décima edição e isso nos dá muito orgulho”. 

Fonte: Revista Canavieiros

Revista Canavieiros: Em pauta, o amendoim!

07/03/2018


Por: Fernanda Clariano

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do IEA (Instituto de Economia Agrícola) e da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), realizou entre 1º e 24 de novembro de 2017 o levantamento das previsões de área e produção de culturas no Estado de São Paulo, referentes à safra agrícola 2017/18. 

Entre os grãos, merece destaque o amendoim, que, quando comparado à safra anterior, apresentou aumento de 3,1% na área plantada, com relevância para o EDR (Escritório de Desenvolvimento Rural) de Jaboticabal, principal região produtora do Estado, que registrou incremento de 24,1%, seguido de outras regionais que também ampliaram o plantio, como Barretos, Marília, Catanduva, Tupã e Dracena. 

Para a produção, as estimativas indicam alta de 5,7%, resultado dos ganhos em produtividade de 2,6%, especialmente nas regiões de Tupã e Catanduva. Esses indicadores refletem as expectativas dos produtores em relação ao comportamento das exportações para o ano de 2018, que devem somar 70,0% da safra.

No cenário nacional, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) em seu 5º levantamento de fevereiro de 2018 aponta uma produção em torno de 500 mil toneladas, o que representa um aumento de 7% em relação a 2016/2017, concentrada no Estado de São Paulo e que responde por mais 90% do total nacional. De acordo com o levantamento de previsão de safras, realizado em novembro de 2017 e divulgado pelo IEA, a safra paulista de amendoim das águas deverá alcançar 482 mil toneladas, 6% superior à 2016/2017 - resultado do incremento de 3% na área plantada (o que corresponde a 126 mil hectares) e de 3% na produtividade média.

Para disseminar essa importante cultura, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a Apta (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios),  através do Polo Regional Centro-Norte e o  IAC (Instituto Agronômico de Campinas), promoveram no dia 7 de fevereiro, o 9º Encontro dos Produtores e Dia de Campo de Amendoim na Fazenda Experimental em Pindorama-SP. O intuito foi apresentar a atualização técnica em tópicos relevantes sobre a cultura e também fornecer informações aos participantes. O evento reuniu mais de 250 pessoas entre produtores rurais ligados à cadeia do amendoim, cooperativas, pesquisadores, técnicos e fornecedores de insumos. 


Ácaros na cultura do amendoim 
A ocorrência de ácaros na cultura do amendoim tem causado prejuízos econômicos e está cada vez mais frequente nas lavouras. Com a proposta de levar para o produtor informações pertinentes relacionadas aos problemas que a cultura enfrenta, o professor dr. Daniel de Andrade, da FCAV/Unesp de Jaboticabal (Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias), discorreu sobre o tema “Ácaros na cultura do amendoim”, onde destacou as possíveis causas, danos e as formas de combate.

Segundo o professor, há três tipos de ácaros importantes na cultura do amendoim: o ácaro vermelho (Tetranychus ogmophallos); o ácaro verde (Mononychellus planki) e o ácaro rajado (Tetranychus urticae). Devido ao potencial de causar prejuízos, o ácaro vermelho é o mais preocupante. “O ácaro vermelho pode infestar a cultura do amendoim rapidamente, pois a população cresce dentro de pouco tempo devido a fêmea depositar muitos ovos com grande rapidez. Em poucos dias, a população pode atingir um nível muito alto e inviabilizar a cultura”, alertou Andrade ao lembrar que, ao longo dos últimos quatro anos, a região paulista de Jaboticabal vem sofrendo com severos ataques de ácaros. 

Cuidados
Pelo fato da mão de obra ser cara, quando o produtor observa o ácaro na cultura, muitas vezes a praga já causou danos e, em alguns casos, não tem volta. De acordo com o professor, além da aplicação de acaricidas, existem outras ações que podem ser realizadas para evitar ou diminuir as infestações. Preparar o solo corretamente e manejar as plantas daninhas sem deixar escape fará com que as fontes de alimento sejam diminuídas. Manejar pragas e doenças também ajuda, já que uma aplicação para controle de lagartas pode ter efeito agregado nos ácaros.

Outra dica é plantar nos períodos mais chuvosos, pois nos períodos secos é mais comum o surgimento dos ácaros, além, é claro, de realizar a colheita adequadamente. 
Custo de produção do amendoim brasileiro x mercado participantes 
O amendoim é um produto consumido mundialmente e o Estado de São Paulo se destaca como o maior Estado produtor do Brasil. O restante é produzido no Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Mato Grosso. 

O mundo comercializa no mercado de amendoim algo emtorno de R$ 9 bilhões (trade MAP/ITC e TAO/OMC). O Brasil (São Paulo) tem uma fatia de R$ 700 milhões em grãos e óleo (equivalente a 7,7%). 

Durante o encontro, o consultor da Entressafra Consultoria, Dejair Minotti, orientou os participantes sobre os custos de produção dos principais concorrentes atuais (Argentina e os Estados Unidos) e o preço que o mercado oferta e é imposto principalmente pela comunidade europeia.

De acordo com algumas considerações de Minotti, a produção de amendoim no Brasil, em especial no estado de SP, nos níveis atuais, somente se mantém com exportação de grãos. A Argentina projeta, no médio prazo, produzir ao redor de 1,7 milhão de toneladas. Os Estados Unidos atualmente ultrapassam 3 milhões de toneladas e o Brasil (SP) terá dificuldades de superar as 600, 700 mil toneladas de hoje. 

Os Estados Unidos e a Argentina já fazem contatos diplomáticos para exportar o produto industrializado enquanto o Brasil está incipiente e deve continuar exportando matéria-prima com menor valor agregado. A ideia de trabalhar outros mercados com amendoim de qualidade alterada é o primeiro passo para ganhar mercado. Diante disso, os concorrentes vão ofertar nesses mercados qualidade a preços competitivos. As empresas precisam desenvolver inteligência de mercado.

“O produtor precisa participar mais dos eventos voltados à cultura, fazer pesquisas e acompanhar o comportamento porque não se pode jogar dinheiro e  produtividade fora”, alertou Minotti. 

Sistema de plantio meiosi x amendoim: vantagens e desafios 
No Estado de São Paulo, o sistema de produção de amendoim está vinculado à cultura da cana-de-açúcar. Porém, este método está bem consolidado em padrões de produção, pautados pela inovação, produtividade e qualidade do produto final. 

A apresentação do gerente agrícola da Agropolegatto, Klinger Branquinho, no 9º Encontro do Amendoim de Pindorama, focou no sistema de plantio meiose x amendoim e em suas vantagens e desafios baseada no planejamento. “Acredito que os desafios estão muito mais ligados em planejamento da parceria entre a produção de cana e a produção de amendoim do que de dificuldades técnicas do sistema”, destacou Branquinho. 

Para o gerente agrícola, a geração de renda é a primeira vantagem, pois ambas as culturas geram resultados. “A meiose ajuda a diluir bastante a geração de renda e também o benefício agronômico da rotação de cultura em função de aporte de fertilidade, controle de pragas e benefício de parceria entre os lados”, disse o profissional que ainda destacou a importância do evento: “Principalmente para a cultura do amendoim, que é carente de instituições de pesquisas, de pesquisadores e de pessoas que atuam diretamente na área, todos os eventos são de extrema importância. São em eventos como este que as pessoas ouvem, aprendem e levam para o dia a dia as informações e, dessa forma, melhoram a qualidade da produção e a rentabilidade da cultura”. 

Transferindo tecnologia e conhecimento
Há anos a Copercana apoia e participa dos projetos do IAC relacionados à cultura do amendoim. 

“Um importante projeto que participamos desde o início é o ‘Programa de Melhoramento Genético do Amendoim para obtenção de Cultivares’, coordenado pelo dr. Ignácio José de Godoy. Por meio deste programa já surgiram diversas cultivares e, atualmente, todo o amendoim cultivado pelos cooperados da Copercana são de cultivares alto oleicas do IAC. Outra iniciativa do instituto que também apoiamos é este ‘Encontro de Produtores e Dia de Campo de Amendoim’, que há nove anos traz informação e atualização aos profissionais e produtores sobre novas técnicas de produção e manejo, situação atual do mercado e uma visão do que podemos esperar para o futuro com relação às novas cultivares”, destacou o encarregado de comercialização da Uname, Juliano José Valerio.

Há quase uma década difundindo a cultura
Prestes a completar dez anos de evento, o pesquisador do IAC, dr. Godoy, comentou sobre os preparativos. “Todo ano nos reunimos para decidir como será feito o encontro e quais serão os palestrantes. Percebemos que este evento vem aumentando a cada ano, criando um certo compromisso com quem nos prestigia. Estamos caminhando para a décima edição e isso nos dá muito orgulho”.