http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.rossam.com.br/index.html
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-produtividade-e-reducao-de-custos-2018.html

Soja: Mercado retoma negócios em Chicago trabalhando com estabilidade nesta 5ª

Voltar

Geral

05/07/2018
  Compartilhe:

Preços da soja em queda na Bolsa de Chicago na volta dos negócios nesta quinta-feira (5). Os futuros da oleaginosa recuavam entre 1,75 e 3,50 pontos nos principais contratos, com o julho/18 sendo cotado a US$ 8,40 por bushel. O mercado segue muito ansioso por novas informações que possam movimentá-lo de forma mais intensa.
 
Segundo explicam analistas da consultoria internacional Allendale,Inc., os principais fatores ainda a serem observados, principalmente no caso da soja, são od desdobramentos da guerra comercial entre China e Estados Unidos e as atualizações dos mapas climáticos para o Corn Belt.
 
No cenário da disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo - que segue no foco principal dos traders - as atenções se intensificam sobre a possibilidade de parte das tarifações norte-americanas já começarem a valer a partir desta sexta-feira, 6 de julho, o que aquece ainda mais as tensões entre os dois países.
 
Lideranças chinesas, no entanto, afirmam que "a China não irá dar o primeiro tiro".
 

Fonte: Notícias Agrícolas

Soja: Mercado retoma negócios em Chicago trabalhando com estabilidade nesta 5ª

05/07/2018

Preços da soja em queda na Bolsa de Chicago na volta dos negócios nesta quinta-feira (5). Os futuros da oleaginosa recuavam entre 1,75 e 3,50 pontos nos principais contratos, com o julho/18 sendo cotado a US$ 8,40 por bushel. O mercado segue muito ansioso por novas informações que possam movimentá-lo de forma mais intensa.
 
Segundo explicam analistas da consultoria internacional Allendale,Inc., os principais fatores ainda a serem observados, principalmente no caso da soja, são od desdobramentos da guerra comercial entre China e Estados Unidos e as atualizações dos mapas climáticos para o Corn Belt.
 
No cenário da disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo - que segue no foco principal dos traders - as atenções se intensificam sobre a possibilidade de parte das tarifações norte-americanas já começarem a valer a partir desta sexta-feira, 6 de julho, o que aquece ainda mais as tensões entre os dois países.
 
Lideranças chinesas, no entanto, afirmam que "a China não irá dar o primeiro tiro".