http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/2-inovacana.html
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://bit.ly/2ktdMMm
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/

Soja sobe em Chicago nesta 4ª feira com mercado dividido entre disputas comerciais e clima nos EUA

Voltar

Geral

06/06/2018

Os preços da soja voltaram a subir na Bolsa de Chicago no pregão desta quarta-feira (6). Por volta de 8h05 (horário de Brasília), as cotações registravam pequenos ganhos de pouco mais de 4 pontos entre as posições mais negociadas. Assim, o julho/18 já atuava com US$ 10,05 por bushel, e o agosto/18 com US$ 10,10.
 
O mercado internacional segue em busca de definir um direcionamento, dividido entre as disputas comerciais que continuam acontecendo entre China e Estados Unidos e o desenvolvimento da nova safra norte-americana.
 
"Nesse momento, o quadro climático mantém as lavouras do Meio-Oeste americano em excelentes condições, com níveis de umidade e temperaturas dentro do ideal. No entanto, há algumas preocupações começando a surgir com a possibilidade de um calor mais intenso durante a polinização", dizem os analistas da consultoria internacional Allendale, inc.
 
No quadro comercial, apesar de um novo acordo ainda não ter sido anunciado, as expectativas de boas relações continuam. "Mesmo com os recentes encontros em Pequim, de onde surgiu um cenário preocupante para aqueles que apostavam num relacionamento mais "próximo" entre os EUA e China, o Governo estadunidense continua com uma esperança positiva de que acordos comerciais serão talhados para favorecer a agri- cultura do país", como explica o boletim diário da AgResource Mercosul (ARC).
 
Apesar disso, as especulações ainda são intensas, uma vez que, "nenhuma informação concreta sustenta tal
expectativa", ainda de acordo com a ARC.
 
O mercado internacional também já começa a se ajustar e os traders a buscar garantir boas posições antes da chegada do novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura do Estados Unidos) traz na próxima semana.

Fonte: Notícias Agrícolas

Soja sobe em Chicago nesta 4ª feira com mercado dividido entre disputas comerciais e clima nos EUA

06/06/2018

Os preços da soja voltaram a subir na Bolsa de Chicago no pregão desta quarta-feira (6). Por volta de 8h05 (horário de Brasília), as cotações registravam pequenos ganhos de pouco mais de 4 pontos entre as posições mais negociadas. Assim, o julho/18 já atuava com US$ 10,05 por bushel, e o agosto/18 com US$ 10,10.
 
O mercado internacional segue em busca de definir um direcionamento, dividido entre as disputas comerciais que continuam acontecendo entre China e Estados Unidos e o desenvolvimento da nova safra norte-americana.
 
"Nesse momento, o quadro climático mantém as lavouras do Meio-Oeste americano em excelentes condições, com níveis de umidade e temperaturas dentro do ideal. No entanto, há algumas preocupações começando a surgir com a possibilidade de um calor mais intenso durante a polinização", dizem os analistas da consultoria internacional Allendale, inc.
 
No quadro comercial, apesar de um novo acordo ainda não ter sido anunciado, as expectativas de boas relações continuam. "Mesmo com os recentes encontros em Pequim, de onde surgiu um cenário preocupante para aqueles que apostavam num relacionamento mais "próximo" entre os EUA e China, o Governo estadunidense continua com uma esperança positiva de que acordos comerciais serão talhados para favorecer a agri- cultura do país", como explica o boletim diário da AgResource Mercosul (ARC).
 
Apesar disso, as especulações ainda são intensas, uma vez que, "nenhuma informação concreta sustenta tal
expectativa", ainda de acordo com a ARC.
 
O mercado internacional também já começa a se ajustar e os traders a buscar garantir boas posições antes da chegada do novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura do Estados Unidos) traz na próxima semana.