http://www.ideaonline.com.br/conteudo/14-seminario-sobre-controle-de-pragas-da-cana.html
http://bit.ly/2ktdMMm
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx

UNICA e CCEE realizam curso sobre comercialização de bioeletricidade

Voltar

Energia

20/03/2018

Na segunda quinzena de março (dias 14/03 a 16/03), mais de 20 representantes de usinas sucroenergéticas do Centro-Sul do País associadas à União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) se reuniram na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo (SP), para um curso sobre a gestão dos contratos de venda de energia no ambiente regulado e livre pelas usinas à biomassa. O conteúdo da iniciativa foi ministrado por executivos da CCEE.

De acordo com o gerente de Capacitação da CCEE, Daniel Gomes, o objetivo da parceria CCEE-UNICA tem sido desenvolver um programa de treinamento mais personalizado, voltado especificamente à comercialização da bioeletricidade no setor elétrico.  "Workshop como este são importantes não somente para os associados da UNICA, mas também para a CCEE identificar pontos relevantes para abordar em novos treinamentos, assim como para aperfeiçoar o conteúdo de outros cursos existentes”, comenta Gomes.

Para o gerente de bioeletricidade da UNICA, Zilmar Souza, o desenvolvimento de um conteúdo focado em bioeletricidade sucroenergética é uma iniciativa muito importante por parte da área de Capacitação da CCEE. “Em 2018, por exemplo, tivemos alterações na regulamentação que trata da venda da chamada energia incentivada no mercado livre. Por isto, é essencial que os executivos da área de bioeletricidade de nossas associadas estejam preparados para entender estas mudanças, e o curso, certamente, contribuiu para isto”, avalia Souza.

As chamadas fontes incentivadas são empreendimentos de geração de energia renovável com determinadas potências, como centrais eólicas, solares, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e de biomassa. A aquisição de energia destas unidades traz benefícios para os consumidores livres e especiais no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Iniciativa do Selo Energia Verde

Outra iniciativa importante da parceria UNICA-CCEE tem sido o Programa de Certificação da Bioeletricidade, que contempla a emissão de Certificado e Selo de Energia Verde para empresas produtoras e consumidoras de bioeletricidade sucroenergética. A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (ABRACEEL) também faz parte do Programa lançado em janeiro de 2015 como entidade apoiadora.

Trata-se de uma certificação pioneira no Brasil, com foco específico na bioeletricidade sucroenergética, e tem como principais objetivos oferecer ao mercado livre a possibilidade de mostrar a preocupação com o consumo responsável e estimular a expansão da bioeletricidade.

Os consumidores no mercado livre que adquirirem a energia da usina certificada ou de comercializadora associada à ABRACEEL podem, desde que obedecendo às diretrizes do Programa, requerer o Selo Energia Verde. A certificação é fornecida pela UNICA sem qualquer custo financeiro.

Atualmente, 67 usinas sucroenergéticas detêm o Selo Energia Verde no âmbito do Programa de Certificação da Bioeletricidade. Para acessar a lista das usinas participantes, clique aqui.

Fonte: UNICA

UNICA e CCEE realizam curso sobre comercialização de bioeletricidade

20/03/2018

Na segunda quinzena de março (dias 14/03 a 16/03), mais de 20 representantes de usinas sucroenergéticas do Centro-Sul do País associadas à União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) se reuniram na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo (SP), para um curso sobre a gestão dos contratos de venda de energia no ambiente regulado e livre pelas usinas à biomassa. O conteúdo da iniciativa foi ministrado por executivos da CCEE.

De acordo com o gerente de Capacitação da CCEE, Daniel Gomes, o objetivo da parceria CCEE-UNICA tem sido desenvolver um programa de treinamento mais personalizado, voltado especificamente à comercialização da bioeletricidade no setor elétrico.  "Workshop como este são importantes não somente para os associados da UNICA, mas também para a CCEE identificar pontos relevantes para abordar em novos treinamentos, assim como para aperfeiçoar o conteúdo de outros cursos existentes”, comenta Gomes.

Para o gerente de bioeletricidade da UNICA, Zilmar Souza, o desenvolvimento de um conteúdo focado em bioeletricidade sucroenergética é uma iniciativa muito importante por parte da área de Capacitação da CCEE. “Em 2018, por exemplo, tivemos alterações na regulamentação que trata da venda da chamada energia incentivada no mercado livre. Por isto, é essencial que os executivos da área de bioeletricidade de nossas associadas estejam preparados para entender estas mudanças, e o curso, certamente, contribuiu para isto”, avalia Souza.

As chamadas fontes incentivadas são empreendimentos de geração de energia renovável com determinadas potências, como centrais eólicas, solares, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e de biomassa. A aquisição de energia destas unidades traz benefícios para os consumidores livres e especiais no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Iniciativa do Selo Energia Verde

Outra iniciativa importante da parceria UNICA-CCEE tem sido o Programa de Certificação da Bioeletricidade, que contempla a emissão de Certificado e Selo de Energia Verde para empresas produtoras e consumidoras de bioeletricidade sucroenergética. A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (ABRACEEL) também faz parte do Programa lançado em janeiro de 2015 como entidade apoiadora.

Trata-se de uma certificação pioneira no Brasil, com foco específico na bioeletricidade sucroenergética, e tem como principais objetivos oferecer ao mercado livre a possibilidade de mostrar a preocupação com o consumo responsável e estimular a expansão da bioeletricidade.

Os consumidores no mercado livre que adquirirem a energia da usina certificada ou de comercializadora associada à ABRACEEL podem, desde que obedecendo às diretrizes do Programa, requerer o Selo Energia Verde. A certificação é fornecida pela UNICA sem qualquer custo financeiro.

Atualmente, 67 usinas sucroenergéticas detêm o Selo Energia Verde no âmbito do Programa de Certificação da Bioeletricidade. Para acessar a lista das usinas participantes, clique aqui.