http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-herbishow.html
http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.fenasucro.com.br/Expor/Quero-Expor/Beneficios/?utm_source=mediapartner&utm_campaign=vendas&utm_medium=banner&utm_content=canavieiros_vendas&utm_term=761x73_201803271729&preload[13935947]=mediapartner
http://https://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.sugarethanolbrazil.com

VAMOS CONHECER? Semeadoras-adubadoras – CONSTITUIÇÃO

Voltar

Colunista

15/01/2018

Por: Carla Paixão


Máquinas e implementos desempenham papel fundamental na agricultura, e especificamente, por meio das semeadoras-adubadoras são criadas as condições para queocorra uma boa implantação da cultura no campo. Assim, o entendimento de uma semeadora-adubadora quanto aos seus sistemas, regulagens, corte das coberturas vegetais,retorno do solo e das palhas após abertura do sulco de semeadura torna-se imprescindíveis para a obtenção de altas rentabilidades na cultura, permitindo ainda diferenciar produtores. Existem inúmeras nomenclaturas utilizadas erroneamente para esta função.Primeiramente segue a função de cada um deles:

-Semeadora-adubadora: dosa e coloca no solo sementes e adubos (ex.: milho, feijão, soja, etc.).

- Plantadora-adubadora: dosa e coloca no solo partes vegetativas e adubo(ex.: cana-de-açúcar e mandioca).

- Transplantadora-adubadora: dosa e coloca no solo plântulas ou mudas e adubo (ex.: arroz, eucalipto e mudas de hortaliças).

Neste texto vamos conhecer e aprender detalhadamente as partes constituintes de uma semeadora-adubadora de precisão, que recebe este nome por dosar as sementes em espaçamento uniforme com pouca variação do número e da posição das sementes na linha:

1-Marcador de linha: Permite facilitar o serviço de semeadura mantendo-se o espaçamento pré-definido entre as sucessivas passadas da máquina na área, evitando-se a sobreposição ou afastamento das passadas. 

2-Disco de corte: Os discos cortam a palha, os mais utilizados são os lisos. Quanto maior seu diâmetro, maior é a força necessária para que ele penetre no solo, em razão da sua maior área de contato.

Quanto mais fundo, maior é o excesso de pressão, isso faz com que o disco apenas empurre a palha para o fundo do sulco, não cortando adequadamente o material vegetal e provocando o “encestamento” das sementes.

O uso dos discos de corte, em “zigzag”, também ajuda a evitar embuchamentos; quanto maior o desencontro das linhas, maior é o fluxo de palha entre os sulcadores. Assim, semeadoras-adubadoras que não apresentam sistemas adequados que facilitem o corte das palhas levam ao embuchamento, que tem sido uma das principais reclamações dos produtores, ocasionando paradas constantes da máquina e reduzindo o desempenho operacional.Além disto, no embuchamento, ocorre enleiramento das palhadas, implicando em maiores perdas de germinação, em maior infestação do terreno por plantas daninhas, problemas na deposição de fertilizante e sementes, além de falhas na cobertura das sementes.
 
3-Reservatório de adubo:Dentro dos reservatórios de adubo encontram-se os dosadores. Os fertilizantes podem formar “pelotas ou empedrar”. Assim, os dosadores devem ser robustos e com capacidade de quebrar estas formações. Em algumas máquinas, há uma peneira de malha grossa na parte superior do depósito para evitar que caia adubo “empedrado” ou com outros corpos estranhos no mecanismo dosador.

Os dosadores devem capturar o fertilizante, desestruturá-lo, conduzi-lo em doses desejadas e liberá-lo na mangueira. Aletas rotativas ou rotores dentados conduzem o adubo a uma comporta com abertura variável, liberando-o ao tubo de descarga.

Os dosadores com roscas sem fim (foto abaixo) são conhecidos por quebrarem com facilidade as “pelotas” de adubo. No entanto, liberam o fertilizante em pulsos, havendo certa desuniformidade ao longo da linha.
 
4-Disco duplo ou haste: A abertura de sulcos é realizada através dos sulcadores, que podem ser discos duplos (semeadora apresentada anteriormente) e por hastes (botinhas), sendo a necessidade desta última para semeaduras diretas. A maior profundidade de trabalho das hastes em relação aos discos duplos causa mobilização mais intensa de solo e exige maior esforço de tração e potência dos tratores.

 
5-Reservatório de sementes:Dentro do reservatório de sementes se encontram os dosadores. Os mecanismos mais frequentes são os discos horizontais e os pneumáticos. O tipo de dosador utilizado, além de afetar a distribuição de sementes, pode interferir na qualidade de semeadura, em função de danos mecânicos ocasionados às sementes.


Na maioria das semeadoras de precisão brasileiras, a dosagem de sementes é realizada por discos horizontais alveolados, que têm a função de capturar, individualizar, dosar e liberar as sementes.

O sistema pneumático utiliza vácuo ou pressão para a dosagem de sementes. No sistema de pressão, um disco vertical gira, aprisionando a semente de um reservatório localizado em sua base. A pressão do ar mantém as sementes presas em orifícios. Um dispositivo com corte de pressão é responsável pela liberação de sementes para o solo. No sistema a vácuo, as sementes são presas pelo vácuo produzido por uma turbina.
 
6-Rodas de profundidade: Sua função é regular a profundidade da deposição das sementes. Como podemos observar na figura abaixo, a roda de profundidade é constituída de uma regulagemcom numeração, na qual pode-se  colocar o pino mais para cima ou para baixo. Se colocamos a trava na posição 1, a roda de profundidade sobe e assim odisco de semente desce, posicionando a semente em maior profundidade. Aocolocara trava na posição 8, a roda fica na vertical, estabilizando o disco, com isso diminui a profundidade de deposição da semente.

7-Rodas compactadoras: Na abertura e fechamento do sulco de semeadura pode haver a formação de bolsões de ar. A redução desses bolsões favorece os ambientes térmico e hídrico e o acondicionamento físico do solo ao redor das sementes.

O aumento do contato solo/semente diminui o tempo para a germinação, além de aumentar a sua percentagem. Na parte posterior da semeadora-adubadora fica a roda compactadora, responsável pelo pressionamento do solo ao redor da semente, restabelecendo o fluxo de água solo-semente necessário à germinação e emergência da cultura e eliminando bolsões de ar.

A roda compactadora pode ser de borracha ou de ferro, lisa ou ranhurada, com saliência ou alívio na parte central. Um bom contato entre a semente e o solo auxilia a transferência de água para a semente. Uma boa cobertura e compactação das sementes depende da quantidade de solo mobilizado pelo mecanismo sulcador, da profundidade de deposição das sementes no sulco, do tipo de mecanismo de cobertura e compactação e da umidade do solo.

Como regra geral, rodas em formato de “V” (foto abaixo), as mais utilizadas, pressionam o solo lateralmente, sem ocasionar selamento superficial quando se trabalha com solos com maior teor de água ou quando ocorrem precipitações logo após a semeadura. O ângulo das rodas compactadoras com a direção de deslocamento deve ser regulado de forma a se obter a quantidade recomendada de solo sobre as sementes, que é função da profundidade final requerida para as sementes. Quando se deseja aumentar a quantidade de solo jogada sobre as sementes, deve-se aumentar o ângulo de ambas (abrir) as rodas compactadoras com a direção de deslocamento.
 
8-Roda de tração:Os dosadores são movidos através de um sistema de engrenagens (movida e motora), e estes são acionados por meio da roda de tração ou motriz (em grande parte do número de semeadoras a campo). Assim, semeadoras com esse sistema não dependem da velocidade de trabalho e sim do número de voltas da roda motriz.
 
Antes de qualquer operação, é fundamental que o produtor conheça o equipamentoque irá trabalhar para uma melhor qualidade de operação.No próximo artigo serão abordados os cálculos para a regulagem da quantidade de sementes e adubo necessária, como calcular a relação de engrenagens e distância correta a ser aplicada para o marcador de linhas.
 
Obs.: Na edição completa da revista vocês podem acompanhar ilustrações dos itens aqui descritos. CLIQUE AQUI.

Fonte: Revista Canavieiros

VAMOS CONHECER? Semeadoras-adubadoras – CONSTITUIÇÃO

15/01/2018

Por: Carla Paixão


Máquinas e implementos desempenham papel fundamental na agricultura, e especificamente, por meio das semeadoras-adubadoras são criadas as condições para queocorra uma boa implantação da cultura no campo. Assim, o entendimento de uma semeadora-adubadora quanto aos seus sistemas, regulagens, corte das coberturas vegetais,retorno do solo e das palhas após abertura do sulco de semeadura torna-se imprescindíveis para a obtenção de altas rentabilidades na cultura, permitindo ainda diferenciar produtores. Existem inúmeras nomenclaturas utilizadas erroneamente para esta função.Primeiramente segue a função de cada um deles:

-Semeadora-adubadora: dosa e coloca no solo sementes e adubos (ex.: milho, feijão, soja, etc.).

- Plantadora-adubadora: dosa e coloca no solo partes vegetativas e adubo(ex.: cana-de-açúcar e mandioca).

- Transplantadora-adubadora: dosa e coloca no solo plântulas ou mudas e adubo (ex.: arroz, eucalipto e mudas de hortaliças).

Neste texto vamos conhecer e aprender detalhadamente as partes constituintes de uma semeadora-adubadora de precisão, que recebe este nome por dosar as sementes em espaçamento uniforme com pouca variação do número e da posição das sementes na linha:

1-Marcador de linha: Permite facilitar o serviço de semeadura mantendo-se o espaçamento pré-definido entre as sucessivas passadas da máquina na área, evitando-se a sobreposição ou afastamento das passadas. 

2-Disco de corte: Os discos cortam a palha, os mais utilizados são os lisos. Quanto maior seu diâmetro, maior é a força necessária para que ele penetre no solo, em razão da sua maior área de contato.

Quanto mais fundo, maior é o excesso de pressão, isso faz com que o disco apenas empurre a palha para o fundo do sulco, não cortando adequadamente o material vegetal e provocando o “encestamento” das sementes.

O uso dos discos de corte, em “zigzag”, também ajuda a evitar embuchamentos; quanto maior o desencontro das linhas, maior é o fluxo de palha entre os sulcadores. Assim, semeadoras-adubadoras que não apresentam sistemas adequados que facilitem o corte das palhas levam ao embuchamento, que tem sido uma das principais reclamações dos produtores, ocasionando paradas constantes da máquina e reduzindo o desempenho operacional.Além disto, no embuchamento, ocorre enleiramento das palhadas, implicando em maiores perdas de germinação, em maior infestação do terreno por plantas daninhas, problemas na deposição de fertilizante e sementes, além de falhas na cobertura das sementes.
 
3-Reservatório de adubo:Dentro dos reservatórios de adubo encontram-se os dosadores. Os fertilizantes podem formar “pelotas ou empedrar”. Assim, os dosadores devem ser robustos e com capacidade de quebrar estas formações. Em algumas máquinas, há uma peneira de malha grossa na parte superior do depósito para evitar que caia adubo “empedrado” ou com outros corpos estranhos no mecanismo dosador.

Os dosadores devem capturar o fertilizante, desestruturá-lo, conduzi-lo em doses desejadas e liberá-lo na mangueira. Aletas rotativas ou rotores dentados conduzem o adubo a uma comporta com abertura variável, liberando-o ao tubo de descarga.

Os dosadores com roscas sem fim (foto abaixo) são conhecidos por quebrarem com facilidade as “pelotas” de adubo. No entanto, liberam o fertilizante em pulsos, havendo certa desuniformidade ao longo da linha.
 
4-Disco duplo ou haste: A abertura de sulcos é realizada através dos sulcadores, que podem ser discos duplos (semeadora apresentada anteriormente) e por hastes (botinhas), sendo a necessidade desta última para semeaduras diretas. A maior profundidade de trabalho das hastes em relação aos discos duplos causa mobilização mais intensa de solo e exige maior esforço de tração e potência dos tratores.

 
5-Reservatório de sementes:Dentro do reservatório de sementes se encontram os dosadores. Os mecanismos mais frequentes são os discos horizontais e os pneumáticos. O tipo de dosador utilizado, além de afetar a distribuição de sementes, pode interferir na qualidade de semeadura, em função de danos mecânicos ocasionados às sementes.


Na maioria das semeadoras de precisão brasileiras, a dosagem de sementes é realizada por discos horizontais alveolados, que têm a função de capturar, individualizar, dosar e liberar as sementes.

O sistema pneumático utiliza vácuo ou pressão para a dosagem de sementes. No sistema de pressão, um disco vertical gira, aprisionando a semente de um reservatório localizado em sua base. A pressão do ar mantém as sementes presas em orifícios. Um dispositivo com corte de pressão é responsável pela liberação de sementes para o solo. No sistema a vácuo, as sementes são presas pelo vácuo produzido por uma turbina.
 
6-Rodas de profundidade: Sua função é regular a profundidade da deposição das sementes. Como podemos observar na figura abaixo, a roda de profundidade é constituída de uma regulagemcom numeração, na qual pode-se  colocar o pino mais para cima ou para baixo. Se colocamos a trava na posição 1, a roda de profundidade sobe e assim odisco de semente desce, posicionando a semente em maior profundidade. Aocolocara trava na posição 8, a roda fica na vertical, estabilizando o disco, com isso diminui a profundidade de deposição da semente.

7-Rodas compactadoras: Na abertura e fechamento do sulco de semeadura pode haver a formação de bolsões de ar. A redução desses bolsões favorece os ambientes térmico e hídrico e o acondicionamento físico do solo ao redor das sementes.

O aumento do contato solo/semente diminui o tempo para a germinação, além de aumentar a sua percentagem. Na parte posterior da semeadora-adubadora fica a roda compactadora, responsável pelo pressionamento do solo ao redor da semente, restabelecendo o fluxo de água solo-semente necessário à germinação e emergência da cultura e eliminando bolsões de ar.

A roda compactadora pode ser de borracha ou de ferro, lisa ou ranhurada, com saliência ou alívio na parte central. Um bom contato entre a semente e o solo auxilia a transferência de água para a semente. Uma boa cobertura e compactação das sementes depende da quantidade de solo mobilizado pelo mecanismo sulcador, da profundidade de deposição das sementes no sulco, do tipo de mecanismo de cobertura e compactação e da umidade do solo.

Como regra geral, rodas em formato de “V” (foto abaixo), as mais utilizadas, pressionam o solo lateralmente, sem ocasionar selamento superficial quando se trabalha com solos com maior teor de água ou quando ocorrem precipitações logo após a semeadura. O ângulo das rodas compactadoras com a direção de deslocamento deve ser regulado de forma a se obter a quantidade recomendada de solo sobre as sementes, que é função da profundidade final requerida para as sementes. Quando se deseja aumentar a quantidade de solo jogada sobre as sementes, deve-se aumentar o ângulo de ambas (abrir) as rodas compactadoras com a direção de deslocamento.
 
8-Roda de tração:Os dosadores são movidos através de um sistema de engrenagens (movida e motora), e estes são acionados por meio da roda de tração ou motriz (em grande parte do número de semeadoras a campo). Assim, semeadoras com esse sistema não dependem da velocidade de trabalho e sim do número de voltas da roda motriz.
 
Antes de qualquer operação, é fundamental que o produtor conheça o equipamentoque irá trabalhar para uma melhor qualidade de operação.No próximo artigo serão abordados os cálculos para a regulagem da quantidade de sementes e adubo necessária, como calcular a relação de engrenagens e distância correta a ser aplicada para o marcador de linhas.
 
Obs.: Na edição completa da revista vocês podem acompanhar ilustrações dos itens aqui descritos. CLIQUE AQUI.